Vistos Empresariais: EB-5, o ‘Green Card’ do Investidor

Vistos Empresariais: EB-5, o ‘Green Card’ do Investidor

Steve Maggi, advogado especializado em imigração

O EB-5 é um green card baseado em empregos que permite a estrangeiros investirem dinheiro em projetos ou negócios que criarão ao menos 10 vagas de emprego a tempo completo por investidor. Centros regionais multiplicaram-se ao longo dos anos, mas a tendência quanto a investimentos é o investimento empresarial, chamado de Investimento Direto, que não utiliza um centro regional. Os investimentos diretos estão onde qualquer um pode tocar seu próprio negócio, ou comprar um negócio existente ou uma franquia, e ter uma função de gestão e operação deste negócio.

O visto é acessível para as pessoas que tem disponível ao menos US$ 500.000,00. Se o negócio for em uma área em depressão econômica, chamada de Área Alvo de Empregos (Targeted Employment Area), quem investir US$ 500.000,00 em um negócio e criar 10 vagas de emprego, poderá ter seu green card e eventualmente tornar-se elegível para a cidadania. Se o negócio estiver localizado em uma área que não é zoneada como alvo de empregos, então terá de investir US$ 1 milhão.

Já citamos previamente no blog sobre o visto E-2, um visto de não-imigrantes que permite à quem deseja um visto com um investimento de valor substancial, mas geralmente com um valor menos substancial. O E-2 apenas se aplica a quem vier de aproximadamente 80 países que tem um tratado com o EUA. Como a maior parte da população mundial vive em poucos países, principalmente nos países do BRIICS (Brasil, Rússia, Indonésia, Índia, China e África do Sul), e nenhum destes países têm um tratado de E-2 com os EUA, muitos dos investidores EB-5 vêm destes países.

O EB-5 também permite aos que já possuem o visto E-2, a converter seus vistos em green cards, se eles conseguirem atingir o limite para investimento (US$ 500.000,00 ou US$ 1 milhão), e puderem mostrar que irão criar ou já criaram 10 ou mais vagas de emprego de tempo completo por meio de seu investimento. Isso oferece aos cidadãos com E-2 que já estão nos EUA, mas que não possuem US$ 500.000,00 ou US$ 1 milhão, a oportunidade de começar um negócio, obter um visto E-2, e eventualmente converter-se em um green card EB-5 para si e todos os membros dependentes da sua família (cônjuges e filhos até 21 anos), desde que investiram o montante necessário.

Para todos que não forem elegíveis para o E-2 devido a não terem cidadania de qualquer dos países com tratado, o EB-5 é uma das únicas opções que terá. Se desejar tocar seu próprio negócio, precisará investir ao menos o montante exigido de US$ 500.000,00 em um negócio cujo modelo garanta a criação do número de vagas de empregos requisitadas. Este caminho se apresenta como uma extensão do E-2. Ele encoraja o espírito empresarial a uma faixa de preço mais alta, mas não tem restrições de nacionalidade. Tudo o que precisa é de capital e buscar um modelo de negócio que garanta vagas de emprego. Se este capital não estiver disponível, então poderá começar um negócio em seu país de origem e após um ano criar uma subsidiária nos EUA e aplicar para o visto L-1, que geralmente pode ser usado como uma plataforma para o green card.

A empresa

Visa Franchise orienta os investidores a identificar e analisar as melhores oportunidades de investimento sob medida para os seus objetivos específicos.

Nós somos consultores de confiança para cidadãos estrangeiros que se qualificam para vistos E-2, L-1 ou EB-5 e gostariam de possuir uma franquia norte-americana, com um montante de investimento mínimo de US$ 150.000.

Leia Mais

No Comments

Post A Comment