Estabelecimento de negócio hoteleiro nos EUA é uma condição vantajosa para investidores estrangeiros e a economia e cultura estadunidense

Estabelecimento de negócio hoteleiro nos EUA é uma condição vantajosa para investidores estrangeiros e a economia e cultura estadunidense

por Steve Maggi (advogado de imigração)

A cidade mais internacional nos EUA, Nova York, está repleta de negócios étnicos, especialmente na indústria de restaurantes, onde cada culinária nacional tem localizações representativas para comer. Alimentando esta taxa de crescimento de restaurantes estrangeiros está o visto de investidor E-2.

Imigrantes com um montante razoável de capital e com um plano de negócios sólido para iniciar uma nova empresa ou adquirir um negócio existente ou uma franquia podem candidatar-se para um visto E-2 dependendo de sua nacionalidade e se os EUA possuem um tratado de investimento com seu país.

A decisão de se conceder um visto depende da probabilidade de sucesso do negócio. Esta determinação leva em conta o quão detalhado e inovador é o plano de negócios bem como a demanda pelo produto e/ou serviço. Além disso, a quantia de recursos necessários para dar início ao negócio até que ele comece a gerar receitas suficientes para chegar em um patamar de crescimento e sucesso é levado em consideração.

Aqui há algumas informações para ter em mente sobre este visto em particular:

O visto E-2 dá ao candidato 5 anos para formar um negócio bem-sucedido nos EUA.

A continuação de permanência legal nos EUA é baseada no sucesso do negócio. Se o empreendimento falhar, o visto é encerrado e o titular deve retornar ao seu país de origem. O requerente poderá também candidatar-se para uma mudança de status para outro visto, ou para um “green card” baseado em outro empreendimento, oferta de emprego ou parentesco direto com um cidadão estadunidense ou residente.

A boa notícia é que enquanto o negócio seguir bem-sucedido, o titular do visto poderá continuar a viver nos EUA indefinidamente. O visto poderá ser continuamente renovado a cada cinco anos, desde que o negócio continue viável.

Apenas indivíduos com experiência e/ou interesse em gerenciar um pequeno negócio poderá aplicar.

Enquanto o visto pode cumprir um importante papel para a reunificação familiar, não poderá ser usado por quem não for sério quanto à gestão empresarial ou não possuir uma mentalidade empreendedora. Há outros meios potenciais disponíveis para quem busca apenas investir dinheiro e deseja ficar com sua família, como o visto EB-5.

O E-2 é mais bem utilizado por quem deseja trabalhar duro e quer fazer o que for necessário para manter um negócio rentável. Se faltar experiência, geralmente o modelo de franquias é o melhor. Eles serão instruídos e guiados por uma entidade corporativa que controla a marca e que maximizará a probabilidade de sucesso.

O processo de solicitação é relativamente simples.

Muitos pedidos de visto tem um processo obrigatório de duas partes:

  1. A petição deverá ser inicialmente revisada por oficiais da imigração dos EUA.
  2. Se aprovado, o candidato deverá inscrever-se ao visto pessoalmente ou com a embaixada dos EUA correspondente.

Em comparação, a inscrição do visto E-2 poderá ser feita diretamente nas embaixadas dos EUA num processamento consular presencial, um processo que poderá ser mais rápido e menos custoso. O processamento consular pode ainda reduzir as chances de uma negativa (apenas 1 chance contra 2).

O requerente e poderá também inscrever-se caso o candidato já esteja nos EUA por meio de uma mudança de status.

Requerentes do visto E-2 só são elegíveis se vierem de países específicos.

O Visto de Investidor E-2 é apenas disponível para cidadãos de países que possuem um tratado de investimento bilateral com os EUA.

Cidadãos de países do BRIICS,

  • Brasil,
  • Rússia,
  • Índia,
  • Indonésia,
  • China, e
  • África do Sul,

não são atualmente elegíveis para o visto E-2. Nestes casos a alternativa pode ser o EB-5 ou outras categorias. Contudo é importante salientar que, caso alguém possua dupla ou múltipla nacionalidade, poderá qualificar-se de acordo com apenas uma das nacionalidades que tenha um tratado em vigor. Por exemplo, israelenses, portugueses e gregos (para citar apenas alguns) não estão qualificados, mas se eles possuírem outra nacionalidade com tratado em vigor, eles poderão candidatar-se.

Em muitas situações, o visto E-2 pode ser uma situação vantajosa para todos os envolvidos. Isso gera mais empresas, que não apenas são adicionadas para a cadeia cultural do país em geral, mas também cria vagas de emprego tangíveis e melhora a economia norte-americana. Em nenhum lugar isso é mais evidentemente claro que na Big Apple e sua cena vibrante de restaurantes.

Se você deseja mais informações, por favor, sinta-se livre para nos contatar através de info@visafranchise.com ou info@smalawyers.com

A empresa

Visa Franchise orienta os investidores a identificar e analisar as melhores oportunidades de investimento sob medida para os seus objetivos específicos.

Nós somos consultores de confiança para cidadãos estrangeiros que se qualificam para vistos E-2, L-1 ou EB-5 e gostariam de possuir uma franquia norte-americana, com um montante de investimento mínimo de US$ 150.000.

Leia Mais

No Comments

Post A Comment